O INDEPENDENTE


A Igreja de Cristo não é mercadoria
Pr. Gomes Silva

A Bíblia está cheia de exemplos de acordos feitos pelos israelitas com outras nações. Isso nunca foi aprovado por Deus. Pelo contrário, Ele sempre puniu seu povo por ter buscado apoio nas nações consideradas pagãs. Hoje, O Altíssimo continua a punir a sua igreja quando deixa de confiar Nele e procura “reforço” junto a pessoas que professam deuses pagãos.

Nesse aspecto, infelizmente, algumas lideranças cristãs continuam neófitas. Não lêem a Palavra de Deus corretamente e a contrariam. Depois vem a “mão” do Senhor à comunidade e não se sabe o que está acontecendo. Mas Deus deixou o alerta:

“O meu povo perece por falta de conhecimento”. É o que está acontecendo em muitos lugares. Mas a culpa é de quem tem está à frente das comunidades cristãs.

Mas por que?
Porque as lideranças estão negociando as igrejas, colocando-as como escape para se locupletarem financeiramente neste período político. E o que é pior. Estão comprometendo a liberdade do rebanho (como são chamados os seguidores de Cristo, o pastor dos pastores), com agentes políticos. Ou seja, por conta dos comerciantes do “reino”, os membros perdem a liberdade de analisarem os políticos e votarem conforme a sua consciência.

Conheço pastores que estão mais comprometidos com políticos do que a moça e o rapaz ao subirem ao altar.

Senhores pastores, a Igreja do Senhor Jesus Cristo, confiada ao seu pastoreio, não é mercadoria. Fuja dos inconversos e confie mais no Senhor. Ele vai suprir as necessidades da sua igreja.



Escrito por Silva Picuí às 23h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


A desvalorização humana
Pr. Gomes Silva

Quem foi que disse que um animal não precisa de cuidados? No mínimo foi alguém que não tem nenhum cuidado com cães, gatos, periquitos, canários, peixes, hamsters, tartarugas, aranhas, rans, cobras, galinhas e marrecos, coelhos ou outro qualquer. Eles foram criados por Deus e merece atenção de seus donos quando for preciso.

Na verdade, esses animais, que são considerados de estimação são domésticos e selecionados para o convívio com os seres humanos por questões de companheirismo ou divertimento, o que não significa que essa seja a única função dessas espécies na nossa sociedade. O cão, por exemplo, é muito utilizado não só na condição de companheiro, mas também na caça, na guarda domiciliar, etc.

Agora, o que não é admissível, embora respeite a opinião de quem assim decidiu viver, é a desvalorização do humano em detrimento de um ser menor. Você que está lendo este simples ponto de vista pode até considerar uma irracionalidade de nossa parte. Mas não é.

Tenho visto senhoras, senhores, jovens e crianças que conseguem tirar de si todo afeto e destiná-lo a animais como gato, cachorro etc, gastando uma imensidão de dinheiro com comidas caras e roupas finíssimas como se o cachorro fosse um ser humano. Mas gastar com o animalejo não teria nenhum problema se não fosse ele (animal), na maioria dos casos, uma espécie de consolo, preenchendo o vazio existencial no âmago do seu possuidor, ocasionado pelo estresse do dia a dia ou pela ausência de uma pessoa afetiva em sua existência.

Minha tristeza em tudo isto é ver animais recebendo toda a atenção, carinho, amor, alimentação de primeira qualidade enquanto pessoas dentro da mesma casa não têm a mesma sorte. Sofrem por que não recebe o mesmo tratamento e são, em determinados episódios, relegados a terceiro plano. Em primeiro, claro, está o bichinho de estimação.

Meu conselho é: Não deixe de cuidar de seus animais. Todavia, não desvalorize o ser humano, que é muito mais importante para Deus, mesmo sendo ele um animal racional ou se comporte, às vezes, como um "irracional" e aja como uma tartaruga com um coração de um gato.



Escrito por Silva Picuí às 23h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


A Bíblia Não é Uma ‘Colinha’

Elbem César

Ó Senhor Deus, ensina-me a entender as tuas leis, e eu sempre as seguirei. Dá-me entendimento para que eu possa guardar a tua lei e cumpri-la de todo o coração. (Salmo 119: 33-34).

Meus jovens leitores, eu tenho uma confissão a fazer. Quando eu estava no ensino médio, eu odiava as aulas de Química. Eu detestava os laboratórios e os cheiros daqueles produtos horríveis. As aulas eram sem graça e ainda tinham os trabalhos práticos para serem feitos em casa. Como você pode ver, eu nunca fui um bom aluno nessa matéria.

Em vez de estudar para as provas, eu preparava as minhas ‘colinhas’. Nos dias dos testes, eu sentava numa posição da sala na qual o bedel não podia me ver. Assim, fui levando a vida até conseguir passar e terminar o ensino médio. Eu pensava comigo: para que sofrer com essa matéria horrível, que não vou usar para nada, sendo que eu posso colar?

Eu vim a perceber o meu erro logo mais tarde, quando tive que enfrentar o vestibular. Como não havia estudado nos anos anteriores, não sabia resolver nenhum problema de Química. Resultado, fui reprovado, tive que voltar para o cursinho.

Às vezes nós gostamos de usar a Bíblia como ‘colinha’. Quando o mundo nos confronta com um problema ou dúvida, abrimos a Bíblia de qualquer maneira e gritamos: ‘Veja, a Bíblia diz que não se pode fazer isso..., ou, a Bíblia não diz nada contra, vamos fazer...’

A Bíblia é o Livro dos livros, é a Palavra de Deus. Ela não foi escrita para ser usada como uma ‘colinha’ nas horas de aperto. Se não estudarmos a Palavra de Deus como deve ser estudada, não vamos entender por que Jesus disse as coisas que disse. Se lemos a Bíblia sem meditar no que está escrito, sem observar o contexto das passagens, não vamos entender o recado de Deus para nós. Quando fazemos assim, somos realmente maus alunos.

Tente pensar da seguinte forma: Antes que um médico possa estar apto para curar a doença de um paciente, ele primeiro precisa compreender a doença. Ele tem que entender a sua origem, o que ela afeta no corpo, que tipo de tratamento pode ser ministrado e qual a melhor medicação para o paciente. Se o médico não faz esse diagnóstico antes, ele pode acabar prejudicando o paciente, errando na dose dos remédios.

Da mesma forma, Deus nos chama para ser médicos para os espiritualmente doentes. Sem entendermos as leis divinas, sem compreendermos o grande amor de Deus expresso nas Escrituras Sagradas e sem sabermos qual é o tratamento que Deus deixou receitado, nós vamos errar a dose. As consequências podem ser duas: ou não salvaremos almas, pois não as faremos verdadeiros discípulos de Jesus, ou as mataremos de vez, não as fazendo compreender o amor de Deus!

E então, você tem estudado bem o plano de Deus para a salvação da humanidade? Quão frequentemente você estuda a Bíblia Sagrada? Você é um bom médico espiritual? Ou você costuma fazer colinhas bíblicas?


Escrito por Silva Picuí às 23h39
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Vem aí, 14º Encontro Para a Consciência Cristã

MAIOR EVENTO DA AMÉRICA LATINA VAI REUNIR 29 PRELETORES EM SETE CONCENTRAÇÕES NOTURNAS E 19 EVENTOS PARALELOS

De 15 a 21 de fevereiro, Campina Grande promoverá o 14º Encontro Para a Consciência Cristã, o maior evento do gênero na América Latina. A realização é da Visão Nacional para a Consciência Cristã – VINACC, sob a coordenação do dinâmico pastor Euder Faber Guedes Ferreira.

O encontro, que tem entrada grátis, será realizado no Parque do Povo, principal praça de eventos da Paraíba, com previsão de público de cem mil pessoas nos sete dias de realizações.

O conclave evangélico vai reunir 29 preletores, vindos das mais diversas regiões do Pais, além de contar com a presença do escritor norte-americano, Norman L. Geisler, co-autor do livro: Não Tenho fé Suficiente para Ser ATEU. A direção da VINACC informa ainda que serão realizadas sete grandes concentrações noturnas, na Representação do Tabernáculo Bíblico, e 19 eventos paralelos, todos com temática voltada para a família, juventude, ciência, fé, família, ação social, teologia e filosofia.

Mais informações: (83) 3342 4654 ou www.vinacc.org.br

Da Redação

 



Escrito por Silva Picuí às 23h38
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Kaká e Carol entraram numa barca furada

Pr. Gomes Silva

Parte da Imprensa brasileira vem dando destaque à separação do casal evangélico Kaká, jogador da Seleção Brasileira, e Carol Celico da Igreja Renascer, dirigida pelo apóstolo Hernandes e pela bispa Sônia Hernandes.

Comecei a “andar” na internet em busca de uma resposta plausível para a questão. Ouvi várias entrevistas dos dois casais, cada um querendo sair pela tangente, deixando seus admiradores sem a resposta certa e levando outros a suposição. Uma delas é a de que Kaká e sua digníssima haviam se afastado do evangelho o que fora descartado pela mulher do atleta.

Contudo, uma coisa me chamou a atenção. Foi uma entrevista de Carol ao programa TV Fama, da Rede TV. Ela disse que, “agora a igreja do casal é a própria casa”. Deixou claro, ainda, que, para ter experiência com Deus não precisa estar em algum lugar. “isto pode ser no trabalho, na academia, malhando...”

Fico tentando entender o que está passando pela cabeça desses dois jovens, que, como evangélicos, sempre foram considerados um exemplo, e não consigo. Dizer que não precisa mais congregar em uma igreja é simplesmente falta de conhecimento bíblico. Meu Deus!

Eles desconhecem textos importantes, que estão na Bíblia, ratificando o mandamento do Senhor, para que haja lugar definido para seus seguidores se reúnam para lhe adorar. Em Jeremias 18:2, Deus diz: “Levanta-te e desce à casa do oleiro. Lá ouvirás as minhas palavras”. No livro de Mateus 16:18, estão as palavras de Jesus Cristo: “...sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. O evangelho de João registra no capítulo 21:15-23, o diálogo entre Jesus e Pedro, quando Cristo manda que Pedro pastoreie as ovelhas Dele (Cristo). Pastorear é cuidar, aconselhar, zelar, tratar etc. E como isto é possível se não existir um lugar adequado?

Mas não é só isso. O livro de Atos historia o nascimento da igreja, inicialmente reunida em lares em função da perseguição por ela enfrentada, como está relatado no capítulo 12, quando Herodes se insurge contra Tiago e Pedro. E diz no versículo 5, que “Pedro estava guardado no cárcere;mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele”.

Kaká e muito mais a mulher estão inseridos no capítulo 10, versículo 25 de Hebreus: “Não deixemos de congregar-nos, como é o costume de alguns...”. Lendo esses textos sagrados concluo que os dois entraram numa barca furada. Só não sabemos quem conseguiu “transformar” a mente deles.

Na realidade, existe um povo que está pregando a Igreja em Casa, que combate o dízimo, que é bíblico; condena um templo, que é bíblico; desaprova a placa denominacional, quando sabemos que as igrejas sérias têm a Bíblia como sua regra de fé e prática, que é o que o Senhor quer de todos nós.

Na igreja que dirijo, temos grupos que se reúnem nos lares, como forma de evangelizar e proporcionar uma comunhão mais viva e próxima entre os irmãos. Todavia, existe um local onde nos reunimos semanalmente para congregar-nos, como mandam as Escrituras Sagradas.

Por essas e por outras coisitas que acontecem no mundo evangélico, sempre digo para a igreja que estiver pastoreando, claro pela misericórdia do Senhor: A gente passa o tempo todo se esforçando para dotar os membros de amplo conhecimento da Palavra de Deus, mas de repente chega alguém com falsas doutrinas e essas mesmas pessoas, que foram ensinadas esquecem tudo aquilo que aprendeu ao longo de sua vida. E seguem-no.

Assim como Kaká e Carol, muitos deixam a igreja maltratando-a e criando situações para não congregar. Infelizmente, a maioria acaba se desviando dos caminhos do Senhor, o que esperamos não acontecer com o camisa 8 da Seleção Brasileira e nem muito menos com a sua esposa, que chegou a ser chamada de pastora.

Ainda bem que Deus existe e sabe quem escolher para determinada missão, a exemplo do ministério pastoral.

Foto: Imagens google



Escrito por Silva Picuí às 23h31
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Testemunho: Goleiro do São Paulo se converte e conta seu testemunho, veja o vídeo

Seu nome é João Bosco Freitas, pernambucano de Recife. A infância sofrida poderia apontar para um futuro nada brilhante. Bosco morava em um subúrbio de Recife e assistiu à separação de seus pais ainda muito novo. As necessidades eram grandes. Porém, ao contrário do que aquelas condições davam a prever, Bosco chegou onde sempre quis: tornou-se um profissional do futebol.

Em entrevista ao programa Papo de Esporte, da TV Rede Super, o atual goleiro do São Paulo Futebol Clube conta que começou sua carreira em um clube de pouca expressão. Para ir aos treinos, Bosco precisava enfrentar uma verdadeira maratona: eram quatro ônibus a cada dia de treino. Seus irmãos bancavam os custos com a passagem.

No caminho rumo ao profissionalismo, uma pedra apareceu: aos 16 anos, Bosco teve seu primeiro contato com as drogas e com a bebida. O goleiro, que se casou aos 17 anos, conta que vivia uma vida de adultério.

Marido de uma mulher evangélica, Bosco lembra de quando chegava bêbado em casa. A esposa do goleiro, perseverante, pagava um alto preço de oração para que Bosco tivesse sua vida transformada. E foi o que aconteceu.

A convite de sua mãe, que é católica, João Bosco aceitou visitar uma igreja. “Já na primeira visita, Deus tocou meu coração”, diz. E foi exatamente no dia 7 de janeiro de 1996 que Bosco se converteu, na 1ª Igreja Batista do Janga, em Recife (PE).

O goleiro conta que a primeira área que Deus transformou em sua vida, foi o casamento. “Meu casamento estava destruído”, lembra. “Foi uma mudança radical”.

Em 2001, época em que jogava no Cruzeiro, Bosco frequentou a Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte. Hoje, membro da igreja Sara Nossa Terra, em São Paulo (SP), o goleiro tem colhido os frutos de sua experiência de vida. “Temos um trabalho de células em nossa casa, onde aconselhamos casais com problemas”, diz.

A história de João Bosco atesta o que está escrito em Jó 14:7-9: “Para uma árvore há esperança; se for cortada, brota de novo e torna a viver. Mesmo que as suas raízes envelheçam, e o seu tronco morra na terra, basta um pouco de água, e ela brota, soltando galhos como uma planta nova”. “Pra Deus não há impossível. Ele muda qualquer coração”, conclui Bosco.

Fonte: Rede Super /
Gospel+

Assista ao vídeo agora



Escrito por Silva Picuí às 01h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


O lado duro da liderança pastoral

Vlademir Hernandes

 

Se examinarmos cuidadosamente a vida dos líderes da Bíblia, principalmente as dificuldades que tiveram e os obstáculos que enfrentaram ao longo do seu ministério, nós, pastores da atualidade, poderemos entender melhor muitos dos problemas pelos quais já passamos, e até prognosticar realisticamente os obstáculos em potencial que ainda poderão se manifestar.

 

A liderança pastoral tem um lado duro, que colocará à prova muitas virtudes da fé cristã, como a perseverança, a paciência, o domínio próprio, a cordialidade, a confiança no Senhor e o amor às ovelhas. Esta constatação sobre a dura realidade da liderança pastoral, deveria também influenciar nas decisões que os aspirantes ao ministério precisam tomar quanto a manterem ou não suas investidas por se tornarem pastores.

 

Liderar a igreja de Cristo envolverá a necessidade de superação constante de obstáculos, assim como a necessidade de suportar, com longanimidade, os constantes sofrimentos que serão impostos nas mais variadas esferas desta experiência. Esta realidade é inerente à grandiosidade da tarefa e à desesperada oposição do inimigo, já derrotado, mas temporariamente ativo e aplicado a infringir derrotas aos homens de Deus chamados para pastorear Sua igreja que prevalecerá contra as portas do inferno.

 

Para suportar esse lado duro, o pastor precisará desenvolver uma "pele grossa" que resiste às inúmeras fontes que podem ferir até mortalmente os mais sensíveis e melindrosos, que logo se perceberão inaptos para o ministério, tamanha a dor que sentem.

 

Reflitamos em algumas experiências de líderes da Bíblia:

 

Quando Paulo escreve aos Coríntios, notamos que o apóstolo se defende de algumas críticas injustas que recebia ali. Em 1 Coríntios 9:1-2 Paulo se aplica a defender sua autoridade apostólica, não aceita por alguns crentes carnais daquela igreja. Em 2 Coríntios 10:8-11 Paulo se defende da acusação de ser duro por carta, mas frouxo pessoalmente.

 

As críticas são como pedras lançadas contra o pastor, visando machucá-lo quando atiradas diretamente ou visando machucar a sua imagem quando desferidas nas fofocas e maledicências praticadas pelas ovelhas menos maduras.

 

Algumas críticas terão fundamento, outras não. Algumas serão feitas para ferir outras ferirão mesmo que esta não tenha sido a intenção de quem a fez. Precisamos aprender a lidar com elas. Algumas serão proveitosas e fomentarão nosso crescimento, outras deverão ser tratadas como pecado e as medidas bíblicas contra elas deverão ser tomadas corajosamente, mas com o espírito de brandura típico dos maduros na fé, conforme Gálatas 3:1. Já outras, colocarão nosso ego à prova e desqualificarão rapidamente aqueles que não admitem, por orgulho próprio, que sejam atacados, contrariados ou mesmo rejeitados.

 

Igualmente tão desafiador quanto enfrentar críticas pessoais, quem desempenha a liderança pastoral também tem que tratar com as murmurações. Moisés experimentou essa dura realidade. Em Êxodo 15:24, 16:2, 17:3, Números 16:41 estão alguns relatos do povo murmurando contra Moisés e Arão. Em Números 21:5 vemos o povo murmurando contra o próprio Senhor, que os castiga com serpentes para que se arrependam da sua postura de reclamação.

 

O pastor sempre encontrará pessoas reclamando de alguma coisa, descontentes com alguma situação, preferindo que as coisas sejam diferentes do que são. A murmuração é uma manifestação de carnalidade, e muitas vezes ela vem de pessoas sobre as quais nutríamos uma expectativa de uma postura mais madura e tolerante, causando em nós frustração e eventualmente, dor por ter que lidar com elas.

 

E por mencionar manifestações de carnalidade, há de se lembrar que existem outras situações em que os mais carnais lançam comentários contundentes para machucar os pastores.

 

Lamentavelmente, tem se avolumado os casos de pastores injustamente perseguidos e até destituídos dos seus ministérios sem receber nenhum respaldo. Às vezes porque discordaram de algum membro ou líder influente, ou ameaçaram a hegemonia ditatorial de alguma família que quer exercer primazia, ou porque combateram alguma prática pecaminosa fazendo com que alguns se sentissem ameaçados e vulneráveis.

 

Há muitos "Diostrefes" por aí perseguindo injustamente homens de Deus, tal como aquele de 3 João, que boicotava os missionários que vinham de longe para pregar o evangelho, não lhes dando acolhida e proibindo o restante da igreja de os receberem, pois "gostava de exercer a primazia" e não dividia sua posição de honra com ninguém.

 

Neemias foi caluniado, como vemos em Neemias 6:6. Pessoas queriam causar-lhe mal (Neemias 6:2). Eles até subornaram profetas para lhe falar mentiras em nome de Deus, para prejudicá-lo.(Neemias 6:10-14).

 

Não é difícil entender que um pastor íntegro e comprometido com a Palavra de Deus torna-se facilmente uma ameaça em igrejas corrompidas pela carnalidade. Receber oposição covarde e agressiva nesse cenário não é um fato surpreendente.

 

A Palavra de Deus nos avisa, em 2 Timóteo 3:12, que todos que quiserem viver piedosamente serão perseguidos. No caso dos pastores piedosos, às vezes a perseguição vem de dentro da sua própria igreja!


________________________

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com.



Escrito por Silva Picuí às 09h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


OS VALORES BÍBLICOS QUE MOTIVARAM A IGREJA EM ANTIOQUIA A FAZER MISSÕES

John R. W. Stott
 
 
Em Atos 13 o horizonte de Lucas se alarga pois o nome de Jesus seria massivamente testemunhado além da Judéia e Samaria. A partir de Antioquia chegaria aos confins da terra. Os dois diáconos evangelistas prepararam o caminho. Estevão através de seu ensino e martírio, Filipe através de sua evangelização ousada junto aos samaritanos e ao etíope. O mesmo efeito tiveram as duas principais conversões relatadas por Lucas, a de Saulo, que também fora comissionado a ser o apóstolo dos gentios, e a de Cornélio, através do apóstolo Pedro. Evangelistas anônimos também pregaram o evangelho aos "helenistas" em Antioquia. Mas sempre a ação esteve limitada à Palestina e à Síria. Ninguém tinha tido a visão de levar as boas novas às nações além mar, apesar de Chipre ter sido mencionada em Atos 11:19. Agora, finalmente, vai ser dado esse passo significativo.

A população cosmopolita de Antioquia se refletia nos membros de sua igreja e até mesmo em sua liderança, que consistia em cinco profetas e mestres que moravam na cidade. Lucas não explica a diferença entre esses ministérios, nem se todos os cinco exerciam ambos os ministérios ou se os primeiros três eram profetas e os últimos dois mestres. Ele só nos dá os seus nomes. O primeiro era Barnabé, que foi descrito com "um levita, natural de Chipre" (Atos 4:36). O segundo era Simeão que tinha o sobrenome de Níger, que significa Negro, provavelmente um africano e supostamente ninguém menos que Simão Cireneu, que carregou a cruz para Jesus. O terceiro era Lúcio de Cirene e alguns conjecturam que Lucas se referia a si mesmo o que é muito improvável já que ele preserva seu anonimato em todo o livro. Havia também Manaém, em grego chamado o "syntrophos" de Herodes o tetrarca, isto é, de Herodes Antipas, filho de Herodes o Grande. A palavra pode significar que Manaém foi "criado" com ele de forma geral ou mais especificamente que era seu irmão de leite. O quinto líder era Saulo. Estes cinco homens simbolizavam a diversidade étnica e cultural de Antioquia e da própria igreja.

Foi quando eles estavam "sevindo ao Senhor, e jejuando" que o Espírito Santo lhes disse: "separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado" (At.13:2). Algumas perguntas precisam ser respondidas.

A quem o Espírito Santo revelou a sua vontade? Quem eram "eles", as pessoas que estavam jejuando e orando?

Parece-me improvável que devamos restringi-los ao pequeno grupo dos cinco líderes, pois isso implicaria em três deles serem instruídos acerca dos outros dois. É mais provável que se referia aos membros da igreja como um todo já que eles e os líderes são mencionados juntos no versículo 1 de Atos 13. Também em Atos 14:26-27, quando Paulo e Barnabé retornam eles prestam conta a toda a igreja por terem sido comissionados por ela. Possivelmente Paulo e Barnabé já possuíam anterior convicção do chamado de Deus e esta verdade foi aqui revelada para toda a igreja.

Qual o conteúdo da revelação do Espírito Santo à Igreja em Antioquia?

Foi algo muito vago e possivelmente nos ensina que devemos nos contentar com as instruções de Deus para o dia de hoje. A instrução do Espírito Santo foi "separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado", muito semelhante ao chamado de Abrão: "vai para a terra que te mostrarei". Na verdade em ambos os casos o chamado era claro mas a terra e o país não.

Precisamos observar também que tanto Abrão como Saulo e Barnabé precisariam, para obedecerem a Deus, darem um passo de fé.

Como foi revelado o chamado de Deus?

Não sabemos. O mais provável é que Deus tenha falado à igreja através de um de seus profetas. Mas seu chamado também poderia ter sido interno e não externo, ou seja, através do testemuho do Espírito em seus corações e mentes. Independente de como o receberam, a primeira reação deles foi a de orar e jejuar, em parte, ao que parece, para testar o chamado de Deus e em parte para interceder pelos dois que seriam enviados. Notamos que o jejum não é mencionado isoladamente. Ele é ligado ao culto e à oração, pois raras vezes, ou nunca, o jejum é um fim em si mesmo. O jejum é uma ação negativa em relação a uma função positiva. Então jejuando e orando, ou seja, prontos para a obediência, "impondo sobre eles as mãos os despediram".

Isto não era uma ordenação ao ministério muito menos uma nomeação para o apostolado já que Paulo insiste que seu apostolado não era da parte de homens, mas sim uma despedida, comissionando- os para o serviço missionário.

Quem comissionou os missionários?

De acordo com Atos 13:4 Barnabé e Saulo foram enviados pelo Espírito Santo que anteriormente havia instruído a igreja no sentido de separá-los para ele. Mas de acordo com o versículo seguinte foi a igreja que, após a imposição de mãos, os despediu. É verdade que o último verbo pode ser entendido como "deixou-os ir", livrando-os de suas responsabilidades de ensino na igreja, pois às vezes Lucas usa o verbo "adulou" no sentido de soltar. Mas ele também o usa no sentido de dispensar. Portanto creio que seria certo dizer que o Espírito os enviou instruindo a igreja a fazê-lo e que a igreja os enviou, por ter recebido instruções do Espírito. Esse equilíbrio é sadio e evita ambos os extremos. O primeiro é a tendência para o individualismo pelo qual uma pessoa alega direção pessoal e direta do Espírito sem nenhuma referência à igreja. O segundo é a tendência para o institucionalismo, pelo qual todas as decisões são tomadas pela igreja sem nenhuma referência ao Espírito.

Conclusão

Não há indícios para crermos que Saulo e Barnabé eram voluntários para o trabalho missionário. Eles foram enviados pelo Espírito através da igreja. Portanto cabe a toda igreja local, e em especial aos seus líderes, ser sensível ao Espírito Santo, a fim de descobrir a quem ele está concedendo dons ou chamado.

Chamado missionário não é um ato voluntário, é uma obediência à visão do Senhor.

Assim precisamos evitar o pecado da omissão ao deixarmos de enviar ao campo aqueles irmãos com clara convicção de que foram chamados por Deus, bem como a precipitação de o fazermos com outros que possuem os dons para tal, mas sem confirmação do Espírito à igreja.

O equilíbrio é ouvir o Espírito, obedecê-lo e fazer da igreja local um ponto de partida para os confins da terra.

_________________________
John R. W. Stott é conhecido pregador e estudioso da Palavra. Pastoreou por vários anos a Igreja de All Souls em Londres. É diretor do London Institute for Contemporary Christianity e autor de diversos livros como "A mensagem do sermão do Monte", "A mensagem de Efésios" e "Crer é também Pensar"


--
Márcio Melânia

"Quanto ao mais, irmãos, regozijai-vos, sede perfeitos, sede consolados,
sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco."
(2 Coríntios 13 : 11)


Visite os meus blogs:



Escrito por Silva Picuí às 15h32
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


SOBRE PASTORES E LOBOS -- By Osmar Ludovico
http://www.luiswesl ey.blogspot. com/

 

Abro aqui uma excessão para publicar algo que não é de minha autoria. Trata-se de um relevante texto escrito por Osmar Ludovico da Silva, publicado pela revista Enfoque Gospel, edição 54, 2006: www.revistaenfoque. com.br

COMO DIFERENCIÁ-LOS?


Pastores e lobos têm algo em comum: ambos se interessam e gostam de ovelhas, e vivem perto delas. Assim, muitas vezes, pastores e lobos nos deixam confusos para saber quem é quem. Isso porque lobos desenvolveram uma astuta técnica de se disfarçar em ovelhas interessadas no cuidado de outras ovelhas. Parecem ovelhas, mas são lobos.

No entanto, não é difícil distinguir entre pastores e lobos. Urge a cada um de nós exercitar o discernimento para descobrir quem é quem.

Pastores gostam de convívio, lobos gostam de reuniões.
Pastores vivem à sombra da cruz, lobos vivem à sombra de holofotes.
Pastores choram pelas suas ovelhas, lobos fazem suas ovelhas chorar.
Pastores têm autoridade espiritual, lobos são autoritários e dominadores.
Pastores têm esposas, lobos têm coadjuvantes.
Pastores têm fraquezas, lobos são poderosos.
Pastores olham nos olhos, lobos contam cabeças.
Pastores apaziguam as ovelhas, lobos intrigam as ovelhas.
Pastores têm senso de humor, lobos se levam a sério.
Pastores são ensináveis, lobos são donos da verdade.
Pastores têm amigos, lobos têm admiradores.
Pastores se extasiam com o mistério, lobos aplicam técnicas religiosas.
Pastores vivem o que pregam, lobos pregam o que não vivem.
Pastores vivem de salários, lobos enriquecem.
Pastores ensinam com a vida, lobos pretendem ensinar com discursos.
Pastores sabem orar no secreto, lobos só oram em público.
Pastores vivem para suas ovelhas, lobos se abastecem das ovelhas.
Pastores são pessoas humanas reais, lobos são personagens religiosos caricatos.
Pastores vão para o púlpito, lobos vão para o palco.
Pastores são apascentadores, lobos são marqueteiros.
Pastores são servos humildes, lobos são chefes orgulhosos.
Pastores se interessam pelo crescimento das ovelhas, lobos se interessam pelo crescimento das ofertas.
Pastores apontam para Cristo, lobos apontam para si mesmos e para a instituição.
Pastores são usados por Deus, lobos usam as ovelhas em nome de Deus.
Pastores falam da vida cotidiana, lobos discutem o sexo dos anjos.
Pastores se deixam conhecer, lobos se distanciam e ninguém chega perto.
Pastores sujam os pés nas estradas, lobos vivem em palácios e templos.
Pastores alimentam as ovelhas, lobos se alimentam das ovelhas.
Pastores buscam a discrição, lobos se autopromovem.
Pastores conhecem, vivem e pregam a graça, lobos vivem sem a lei e pregam a lei.
Pastores usam as Escrituras como texto, lobos usam as Escrituras como pretexto.
Pastores se comprometem com o projeto do Reino, lobos têm projetos pessoais.
Pastores vivem uma fé encarnada, lobos vivem uma fé espiritualizada.
Pastores ajudam as ovelhas a se tornarem adultas, lobos perpetuam a infantilização das ovelhas.
Pastores lidam com a complexidade da vida sem respostas prontas, lobos lidam com técnicas pragmáticas com jargão religioso.
Pastores confessam seus pecados, lobos expõem o pecado dos outros.
Pastores pregam o Evangelho, lobos fazem propaganda do Evangelho.
Pastores são simples e comuns, lobos são vaidosos e especiais.
Pastores tem dons e talentos, lobos tem cargos e títulos.
Pastores são transparentes, lobos têm agendas secretas.
Pastores dirigem igrejas-comunidades , lobos dirigem igrejas-empresas.
Pastores pastoreiam as ovelhas, lobos seduzem as ovelhas.
Pastores trabalham em equipe, lobos são prima-donas.
Pastores ajudam as ovelhas a seguir livremente a Cristo, lobos geram ovelhas dependentes e seguidoras deles.
Pastores constroem vínculos de interdependência, lobos aprisionam em vínculos de co-dependência.
Os lobos estão entre nós e é oportuno lembrar-nos do aviso de Jesus Cristo: "Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são devoradores (Mateus 7:15).

 

__________________________
Osmar Ludovico da Silva, diretor e mentor espiritual, dirige cursos de espiritualidade, revisão de vida e de pastoreio de pastores e missionários. Casado com Isabelle e pai de Priscila e Jonathan, reside em Cabedelo, Paraíba.


--
Enviado por: Márcio Melânia

"Quanto ao mais, irmãos, regozijai-vos, sede perfeitos, sede consolados,
sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco."
(2 Coríntios 13 : 11)



Escrito por Silva Picuí às 15h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Predestinação

Algumas coisas que foram faladas quanto a predestinação eu não concordo; mas não vou menosprezar quem tem uma posição diferente de minha, até porque essa questão de posicionamento doutrinário relacionado a predestinação diverge entre os evangélicos, mas o que fala mais alto é a soberania de Deus! (Os que são de Deus não se perdem).

D
eixo meu posicionamento, que também os leitores podem discordar ou não. Fiquem a vontade!

Se não aceitarmos a doutrina da eleição incondicional, da predestinação e do chamado eficaz,  nunca compreenderemos plenamente o significado da graça e nunca daremos a Deus a glória da qual Ele é digno.
 
Nós a chamamos de “graça soberana” porque graça não é meramente uma oferta de salvação; é também um poder que salva. Paulo deixa isto muito claro em Efésios 2.5,6. “Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (PELA GRAÇA SOIS SALVOS), e nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus”. A razão de Paulo inserir esses parênteses foi ensinar-nos que a graça é um poder que ressuscita os mortos e, portanto, é TOTALMENTE imerecida.

Portanto quando falo de predestinação ou salvação não estou falando de algo que eu escolhi, pois quem está morto nada pode escolher.
Defendo os 5 pontos calvinistas na letra do cântico a seguir:

 

 

Pela Graça e Pelo Amor

 

1- Pode um morto se levantar?

    Pode um escravo se libertar?

    Pode um cego se dar a visão?

    Ou se escolhe a salvação?

 

Escolhido fui, escolhido sou

Desde o princípio por Deus criador.

Escolhido fui, escolhido sou

Pela graça, pelo amor!

 

2- Não existia Razão em mim

    Para o Deus santo escolher-me:

    Sem exigência elegeu a mim.

    Pois nunca iria querer-lhe!

 

3- Na morte de Cristo o Salvador,

    A morte nos foi derrotada:

    Nenhuma gota de sangue eficaz

    Em vão foi na cruz derramada!

 

4- Irresistível é a graça de Deus

    Ao que está morto em pecado

    É soberano  o chamado do Pai

    Ao homem atraído e amado!

 

5- Em santidade por Cristo viver

    Vencendo o mundo e o pecado:

    Nada, ninguém nem a morte ou mal

    Afastam de Deus seus amados!

Pr Davi Buriti
 
http://www.ipfb.blogspot.com/



Escrito por Silva Picuí às 23h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


UMA PROFECIA POR UM CHURRASCO

 

Mq 3.5-7: Assim diz o SENHOR acerca dos profetas que fazem errar o meu povo e que clamam: Paz, quando têm o que mastigar, mas apregoam guerra santa contra aqueles que nada lhes metem na boca. Portanto, se vos fará noite sem visão, e tereis treva sem adivinhação; pôr-se-á o sol sobre os profetas, e sobre eles se enegrecerá o dia. Os videntes se envergonharão, e os adivinhadores se confundirão; sim, todos eles cobrirão o seu bigode, porque não há resposta de Deus.

 

Uma boa profecia podia ser comprada, desde que o preço da consulta tivesse um gosto agradável para o vidente. Os profetas clamavam: "Paz, quando têm o que mastigar". Este mau hábito repercute ainda hoje na Igreja, que ocupa o lugar de Israel como Povo de Deus. Profecias por dinheiro, para ter o que mastigar.

 

Profetas contemporâneos são contratados para jogar lenha na fogueira do ministério de figurões eclesiásticos, para alimentar seus sonhos e incentivar seus seguidores. Esta tarefa profética lhes garante pelo menos um churrasco por semana.

 

Ao povão, ou aos pastores menos abastados, lhes sobra o contentar-se com o seu próprio silêncio profético, ou contentarem-se com o receber vaticínios perturbadores. Os falsos, ao menos receberão algo da Terra, que será desfrutado somente neste planeta. Aqueles que fomentam a proclamação de profecias sedutoras, estão predispostos ao mal e abrem uma brecha para a atuação demoníaca.

 

Veja o que Miquéias declara sobre estes profetas: "apregoam guerra santa contra aqueles que nada lhes metem na boca". Se não colocar uma picanha no meu prato, eu amaldiçôo. Prefiguram os líderes atuais que amaldiçoam aos que se retiram de sua igreja, principalmente se o dízimo perdido for de bom gosto e tamanho (complemente com Jd 1.13). Para estes são prometidas trevas: "se vos fará noite sem visão"

 

Ubirajara Crespo



Escrito por Silva Picuí às 23h35
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Caso da vida real: Um convite feito pela Igreja de Humildenópolis ao pastor Celebrestino da Hora

 

- Alô! Gostaria de falar com o pastor Celebrestino da Hora.

- Ele não se encontra no momento. Sobre o que seria?

- É sobre a possibilidade dele atender um convite para uma programação aqui na igreja.

- Aqui quem fala é a secretária dele, pode falar que eu verifico na agenda se há disponibilidade para atender ao convite.

- Ok! seria para o final do mês de agosto, precisamente no dias 28, 29 e 30. Trata-se de um Congresso de Mocidade que realizaremos em nossa igreja aqui em Humildenápoles.

- Deixe-me ver... Huuummm... tá muito em cima, mas... tudo bem, a data está disponível.

- Que benção! Gostaria de saber qual as condições para que ele atenda o nosso convite.

- Bom, o pastor Celebrestino da Hora exige vôos sem escalas e sem conexões, hospedagem em hotel 5 estrelas com rede wireless e com o frigobar e o telefone livres, refeições só em restaurantes de nível, translado aeroporto/hotel/evento/hotel/aeroporto em veículo espaçoso e confortável, e o cachê de R$ 7.000,00.

- Noooooooossa! Nós faremos o possível para dar o melhor conforto ao pastor Celebrestino da Hora, mas não temos como cumprir todas essas exigências, nem pagar um cachê neste valor. Nos esforçaremos também para dar uma boa oferta, mas não sabemos ainda, na realidade, de quanto será.

- Querido, convidar pregador famoso não é pra quem quer, é pra quem pode! Sinto muito, menos do que isso, e sem estas condições não dá. E tem mais, vocês estão com sorte que a agenda dele está livre.

- Não dá nem pra falar com ele, quem sabe ele não abre uma exceção?

- Não filho, não dá. Não adianta perder tempo com isso.

- Que pena!

- Pois é... faz o seguinte, convida outro que esteja dentro das possibilidades de sua igreja. A desvantagem é que o seu evento não terá o brilho e a notoriedade que teria com a ida do pastor Celebrestino da Hora.

- Tudo bem. A paz do Senhor.

- Tchau!.

 

Fonte: Blog do Pr. Altair Germano



Escrito por Silva Picuí às 14h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Um sonho é começar o meu Ministério Pastoral

 

Tem tanto testemunho de pastores e obreiros que não assumiram o Ministério Pastoral, e sofrem barbaridade em decepção etc...

 

"Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" - Romanos 12:2

 

É preciso de muita coragem para ser diferente, de pagar o preço para ser discípulo de Jesus, em contraste com o padrão deste mundo. Temos que exercer uma santidade visível até dentro da igreja e fora dela.

 

O primeiro desafio, é o dinheiro, pois em muitos momentos fala muito mais alto, precisa ser deixado de lado, não que precisemos dele, mas a maneira como é conseguido. Muitos jovens querem dinheiro fácil, atropelam e são atropelados pela malícia, astúcia e engano.Nós podemos ganhar muito dinheiro, porém de maneira honesta. E ter um patrão Deus tem que seguir arrisca todo o trabalho, honestamente e fiel a todo custo.

 

O segundo desafio ,é ser realmente quem somos.Tirar a máscara. Tem gente que vive na cola dos outros.Gente que sempre colou na escola, mas quando chega o dia de provar que aquelas notas eram fruto do nosso esforço, o que estava escondido é revelado. Muitos jovens cristãos , que frequentam sistematicamente a igreja, não querem nada com o estudo.

 

E por último VALORES, é o que diz o Curso Conhecendo Deus e fazendo a sua vontade:

Cremos que Deus fala através do Espírito Santo por intermédio da Bíblia, da oração, das circunstâncias e da igreja. Reconhecemos que é necessário construírmos relacionamentos marcados pelo amor fraternal, integridade, honestidade e transparência, para cumprirmos a missão e a visão que o Senhor nos revelou.

 

É severo fazer um COMPROMISSO MINISTERIAL

Uma liderança preparada para edificar, equipar e avaliar os projetos, programas e atividades da nossa igreja. Uma liderança motivada, capacitada e treinada para formar novos líderes e novas equipes; e que acima de tudo, discernimento para tomar decisões corajosas,coerentes e consensuais.

Isso na esperança de que o Senhor há de nos capacitar para conduzir a igreja que não é minha, não é sua, não é nossa, mas que pertence a Jesus, pois foi com a sua graça e misericórdia que foi fundada, e temos a certeza de que, juntos, haveremos de realizar a obra que Ele nos preparou.

 

Que Deus abençoe a todos...

Francisco das Chagas

Teresina-PI



Escrito por Silva Picuí às 09h53
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Mais de 48% das pessoas acreditam mais em Deus do que nos médicos, diz pesquisa

Uma pesquisa realizada por alunos de biomedicina da Faculdade Maurício de Nassau, em Recife, revelou que 48,7% das pessoas acreditam mais na fé em Deus para alcançar a saúde contra 6,7% que creem mais nos médicos. Em entrevista, médica diz que não acredita em milagres.

Você acredita mais na fé em Deus ou na medicina para a cura de uma doença grave? A pergunta foi feita a 818 recifenses e a resposta da maioria deles surpreendeu os autores da pesquisa Saúde, Vida e Valores, realizada por alunos de biomedicina da Faculdade Maurício de Nassau.

O estudo revelou que 48,7% das pessoas acreditam mais na fé em Deus para alcançar a saúde contra 6,7% que creem mais nos médicos. Outros 44,4% citaram que confiam na fé em Deus e na medicina ao mesmo tempo para se curarem. O levantamento traz também a opinião do recifense sobre outros temas polêmicos, como transplante de órgãos e tecidos, doação de sangue, eutanásia e pesquisas com células-tronco.

Fonte: Diário de Pernambuco



Escrito por Silva Picuí às 10h12
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Queda do avião 447 da Air France | Deus ainda fala nos dias de hoje

 

A voz de Deus salvou do vôo 447 da Air France o pastor missionário da Assembléia de Deus em Paris, Gláucio Oliveira, 29 anos. O religioso já tinha reservado um lugar no avião que caiu no Oceano Atlântico, quando recebeu, na última quinta-feira, uma ‘ordem’ para não prosseguir com a viagem. O recado foi dado por uma amiga.

 

Jussara Gonçalvez, 37 anos, participava de um grupo de orações e foi chamada pela colega Renata Carnevale, 30, que dizia ter recebido uma mensagem do Senhor. “Não deixe o varão viajar, a cova dele está aberta. Ele vai morrer”, afirmou Renata.

 

Chorando muito, Jussara ligou na mesma hora para o pastor. Assustado, Gláucio não confirmou a reserva: “Eu ia de TAM no sábado, mas, desde que um amigo, também pastor, morreu num acidente da empresa, eu só voo de Air France, que considerava o melhor avião do mundo. Mas Deus me enviou a Renata, que recebeu a revelação de que, se eu entrasse naquele avião, minha cova estava aberta. Nós só nos vimos uma vez, ela nem sabia que eu ia viajar. Por isso, quando a Jussara me transmitiu a mensagem, fiquei apavorado. Orei a Deus e senti no coração que não devia ir. Ele foi fiel a mim, porque sempre lhe obedeci”.

 

Renata, a mulher que salvou a vida do pastor, está de cama desde a manhã de segunda-feira, quando soube da queda do avião. Por telefone, ela confirmou ter recebido uma mensagem de Deus: “Não foi visão, eu apenas entreguei um recado do Senhor”.

 

Fonte: blog Evangelho Hoje



Escrito por Silva Picuí às 09h43
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil





BRASIL, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, English, Livros, Informática e Internet
MSN -



Meu humor



Histórico


Categorias
Todas as mensagens Link



Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 BLOG DO PASTOR GOMES
 Igreja Batista Independente em Parnaíba
 Independente
 Encontro Para a Consciência Cristã
 UOL - O melhor conte?/>
 
Estudos